Loja com produtos para jardinagem, móveis e decoração.

A importância do correto preparo do solo para se ter um belo jardim.

Um solo compactado é um solo que teve sua porosidade diminuída e sua densidade aumentada através de ações mecânicas. Isso quer dizer que os espaços por onde circulariam o ar e água diminuíram.  Há então enorme dificuldade para penetração e difusão das raízes. Um solo compactado é conseqüência do manejo inadequado do mesmo, conforme detalhado abaixo.


 

A presença de camada compactada no solo pode acarretar baixa infiltração de água, enxurrada, erosão, infiltrações na estrutura predial, perda de nutrientes, raízes deformadas, estrutura do solo degradada e deficiente desenvolvimento das plantas (conformação e disposição alteradas). As plantas tornam-se mais grossas e tortuosas e apresentam folhas com coloração não característica, em razão principalmente de deficiência nutricional, resultante de menor volume de solo explorado devido à compactação.

Na camada compactada, as características químicas e, principalmente, as características físicas do solo são modificadas. Ocorre a quebra de agregados do solo decorrente da pressão excessiva. Com a quebra dos agregados, há o aumento da densidade do solo, ocorrendo simultaneamente redução da porosidade, especialmente poros grandes e diminuição de troca gasosa (oxigênio e dióxido de carbono).

Nas residências recém construídas, a compactação do solo normalmente é provocada pela ação da pressão dos caminhões e tratores usados no aterro e fornecimento de materiais durante a obra, pelo longo período de exposição do solo descoberto a intempéries, ao intenso pisoteio na área, a resíduos de materiais e concreto e a aterros realizados utilizando solos muito argilosos. Essas ações modificam as estruturas naturais e causam rompimento de suas resistências naturais. Uma das conseqüências é a erosão.

Pode-se constatar a compactação através da elevada resistência às operações de preparo do solo (através do uso da picareta e/ou arado). Constatada a existência de camada compactada, indica-se abrir pequenas trincheiras (0,30 x 0,30 x 0,50 m) com o objetivo de detectar o limite inferior da camada compactada. Este procedimento é realizado mediante observação do aspecto morfológico da estrutura do solo, da forma e da distribuição do sistema radicular das plantas. Normalmente, o limite inferior da camada compactada não ultrapassa 25 cm de profundidade.

Deve-se ficar atento as causas da compactação solo para evitá-las sempre que possível.  Sua descompactação é um processo trabalhoso, minucioso, que exige equipamentos e recursos específicos. Um solo compactado sempre compromete a qualidade do jardim. As plantas ficam feias e subdesenvolvidas. Descompactado inicia-se de imediato o plantio da cobertura vegetal (gramado, árvores, arbustos, palmeiras, forrações etc.). Do contrário, o solo continuaria exposto e sujeito a compactar-se novamente.

Este é o procedimento correto para alcançarmos um bom resultado. Significa ter um gramado vigoroso, sem pontos de encharcamento, árvores e palmeiras frondosas, arbustos floridos e um pomar repleto de frutas.

Clique aqui para ver alguns espaços antes do preparo correto do solo e depois, com o jardim implantado.

www.rosalba.com.br

Texto de Rosalba da Matta Machado.
Conforme a Lei 9.610/98, é proibida a reprodução total e parcial ou divulgação comercial sem a autorização prévia e expressa do autor (artigo 29). Todos os direitos reservados.

Se você gostou deste artigo, deixe um comentário abaixo e considere
cadastrar nosso RSS, para ser notificado nas próximas atualizações do blog.

Comentários

Rosalba,

Desde o início sempre gostei muito das imagens dos seus projetos no seu site! No início é sempre interessante se espelhar em alguém e em vários momentos me espelhei nos seus trabalhos.

Gostei muito dos artigos, são sempre muito importantes para profissionais no início da carreira como eu e que querem sempre progredir e executar um trabalha com cada vez mais qualidade!

Obrigado.

Um abraço,

Daniel Cruz

Daniel,

Obrigada pelas visitas e o companherismo. Espero sempre poder ter algo a acrescentar.

Um abraço,

Rosalba.

Muito bom artigo, bem explicado. Mas eu ressaltaria ainda sobre a importancia da aeracao do solo ( que dependendo do tipo de solo – os argilosos por exemplo- sao compactos por natureza , sem mesmo sofrer anteriromente uma atividade intenssa anterior (por exemplo circulacao de maquinas ou pisteio). Com a baixa porosidade, tando a rega como a adicao de adubos ( solidos ou liquidos) e corretivos de solo ( calcario/ fosfato natural, etc.) também tem seu efeito diminuido, e por se concentrar mais na superficie do solo ( pela baixa porosidade nao penetra no solo ), é maior a perda por erosao ( vento e chuva, e por queima/ evaporacao), e assim naoa lcançamos o objetivo, mesmo se gastando com insumos e adubos. Em areas menores uso o aerador manual, com otimos resultados, tambem em campos de futebol society ( se desejar posso mandar uma imagem do aerador manual). Abraços, e parabens ( sou eng. agronomo, especializado em Paisagismoe meio Ambiente, e prof. de Paisagismo , na UNIASSEWLVI , em Indaial-SC.Aproveito para solicitar sua autorizacao apra utilizar o teu amterial apra enriquecer o meu ( claro, mencionando a fonte). Agradeceria por um retorno.

Olá Haro,

Agradeço a complementação do artigo!

Um abraço,

Rosalba.

Comente este artigo

(obrigatório)

(obrigatório)